Revisão do Sistema Financeiro

Revisão do Sistema Financeiro

teste carvalho@goweb.pt https://www.bancocentral.tl/uploads/seo/big_1436805856_8449_button_accept.png
Publicações > Principais Publicações > Revisão do Sistema Financeiro
O Banco Central de Timor-Leste lançou a sua primeira Revisão do Sistema Financeiro para o período até junho de 2015.

A produção da Revisão do Sistema Financeiro é mais um passo na implementação do Plano Diretor para o Desenvolvimento do Sector Financeiro em Timor-Leste, lançado em agosto de 2014. Um dos temas principais do Plano Diretor é a necessidade de monitorização do progresso. A publicação de uma revisão anual do sistema financeiro é um dos instrumentos recomendados para levar a cabo essa monitorização.

O objetivo da Revisão do Sistema Financeiro é retratar a robustez e eficiência do sistema financeiro de Timor-Leste, compreendendo bancos, seguradoras, instituições de micro-finança e cooperativas de crédito de maior dimensão. A revisão é realizada partindo de duas perspectivas de análise: a da estabilidade do sistema financeiro, que incluindo potenciais riscos; e a do progresso alcançado no sentido do desenvolvimento de um Sistema financeiro sólido em Timor-Leste.

O objetivo da Revisão do Sistema Financeiro é retratar a robustez e eficiência do sistema financeiro de Timor-Leste, compreendendo bancos, seguradoras, instituições de micro-finança e cooperativas de crédito de maior dimensão. A revisão é realizada partindo de duas perspectivas de análise: a da estabilidade do sistema financeiro, que incluindo potenciais riscos; e a do progresso alcançado no sentido do desenvolvimento de um Sistema financeiro sólido em Timor-Leste.

A revisão conclui que, desde meados de 2013, o número de filiais bancárias aumentou 30% (de 24 para 31), e que o número de caixas automáticas (ATM) duplicou (de 20 para 40). No mesmo período, o número de contas bancárias de depósito aumentou em 36% e os saldos bancários dessas contas em 49%. Os saldos de depósitos em instituições de micro-finança aumentou numa percentagem semelhante.

A revisão identifica que menor progresso se tem registado, até ao momento, no que respeita ao aumento da disponibilidade de crédito para as famílias e empresas timorenses. O número de contas bancárias de depósito em cerca de 95.000 desde junho de 2013, ao passo numero de contas bancárias de empréstimo aumentou, no mesmo período, em menos de 2.000. Estas tendências refletem-se no decréscimo dos rácios de empréstimos-depósitos, em particular para os bancos, onde o aumento dos depósitos ultrapassou, em larga escala, o aumento dos empréstimos. Os rácios de empréstimos por depósitos para as instituições de micro-finança são consideravelmente mais elevados, na medida em que apenas uma pequena proporção do seu financiamento é derivada de depósitos – a maior parte do financiamento destas instituições advém de doadores e empréstimos. Assim sendo, uma importante prioridade política para o futuro próximo é o fortalecimento de políticas que possibilitem às famílias e empresas timorense solicitar crédito por um lado e, por outro lado, às instituições bancárias fornecê-lo.

Cópias da Revisão do Sistema Financeiro de 2015 estão disponíveis no Banco Central e também podem ser descarregadas a partir da página de internet do Banco Central. Pretende-se que a Revisão do Sistema Financeiro seja atualizada e publicada todos os anos.